sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

As 10 melhores Boss Battle dos games

Saudações. Ainda no clima de top 10, resolvi fazer uma lista dos 10 chefes com as batalhas mais marcantes dos jogos.

Requisitos: Apenas 1 boss por franquia, não necessita ser Final Boss, mas sim aquele chefe marcante, até por que, muitas vezes, há final bosses que são uma verdadeira decepção (vide Wesker em Resident Evil 5 por exemplo), novamente, essa lista não tem por objetivo comparar os chefes entre si, até por que, cada um tem suas próprias mecânicas. O chefe que abre a lista não é melhor nem pior que o que fecha a lista. Esse não é o propósito da postagem. O propósito desta é somente expor quais os 10 chefes mais marcantes dos games na minha opinião. Somente personagens criados para games. Então, nada de Coringa, Freeza, Darth Vader ou personagens criados em outras mídias e migrados para games. E por último e mais importante, meu blog, minhas impressões, essas são as melhores boss battles dos games na minha opinião (sim, eu disse boss BATTLES, o que está sendo avaliado aqui é a luta contra o chefe em sí, e o quanto ela me cativou e/ou me fez arrancar os cabelos. Não serão levados em conta temas como motivação ou backstory dos chefes, apenas as batalhas contra os mesmos).

Também estou excluindo da lista chefes de jogos de luta. Na minha visão, um bom chefe é aquele no qual temos que utilizar todas as habilidades que desenvolvemos e aprimoramos ao longo do game. Uma boa boss battle é aquela que requer habilidade do jogador, inteligência, e criatividade. Todos os chefes dos jogos de luta exigem isso, uma vez que são desgraçadamente apelões (estou falando de vocês King Of Fighters). O motivo que decidi deixar chefes de jogos de luta de fora da lista, é que por mais que as batalhas sejam intensas, a mecânica de um jogo de luta se mantém praticamente imutável de um jogo para o outro. O combate ocorre em 2 dimensões de movimento, com ataques de pulo, rasteira, projéteis.... a mecânica de um jogo de luta é igual para todos... por isso deixei de fora. Preferi privilegiar jogos que foram além, que possuem mecânicas singulares de combate.

Então vamos lá senhoras e senhores.

Phalanx (Shadow Of The Colossus)


Shadow Of The Colossus é um jogo simplesmente incrível. Não há muito mais o que possa ser dito dele. Mas não estamos aqui para falar do jogo, isso já foi feito, estamos aqui pra falar dos chefes. De todos os 16 colossos, foi Phalanx, o décimo segundo colosso que me proporcionou a batalha mais marcante. Phalanx não apenas é o maior dos colossos, como também é o único que força nosso protagonista Wanderer a usar todo o seu (limitado) leque de habilidades. Phalanx é um leviatã voador, inalcançável para nosso herói silencioso. Devemos perseguir o colosso cavalgando Agro, nosso fiel cavalo, enquanto atiramos flechas em seus bolsões de ar, fazendo com que o colosso desça para o chão. Uma vez no chão, devemos cavalgar em velocidade em sua direção, e só então subir em suas asas, e começar a longa caminhada para encontrar e atacar seus pontos vitais. Todas as habilidades do personagem são postas à prova aqui. Cavalgada, arco e flecha, escalada e ataque com a espada, nessa, que é a batalha mais memorável desse jogo inesquecível
.
Dark Link (Legend of Zelda Ocarina Of Time)

Tal como eu disse, uma boa boss battle é aquela que te força a ser criativo, utilizando tudo o que você aprendeu ao longo do game. E acho que poucas batalhas fazem isso com tanta maestria do que a batalha contra esse chefe secreto no incrível Ocarina Of Time. Juro que fiquei pensando muito entre essa e a batalha contra Ganon, mas a luta contra o nosso Eu Malvado venceu. Esse lance de lado malvado do protagonista é uma história já batida, mas que nunca si de moda. A batalha contra Dark Link vai ficando progressivamente mais difícil, e a cor de Dark Link vai ficando progressivamente mais escura conforme vai ficando mais difícil. A inteligência artificial do personagem é muito boa. Dark Link vai progressivamente aprendendo as técnicas e padrões de ataque do jogador, antecipando ataques, atacando quando você abre a guarda, de modo que para derrotar esse chefe, precisamos ser criativos, e nos reinventar como jogadores. Essa batalha é tão marcante, que Dark Link apareceu em quase todos os jogos da série depois desse, fazendo inclusive parte do enredo principal de alguns jogos, mas sem dúvida, seu ponto mais forte é essa batalha em Ocarina Of Time.

Nemesis (Resident Evil 3)

Boss battles marcam o ponto alto de um game. O que falar então de uma boss battle que dura literalmente o jogo todo? É exatamente isso o que ocorre com o vilão mais icônico e temido da franquia. Nemesis é o vilão principal e único boss do jogo, e pode literalmente, aparecer a qualquer momento para tornar a vida do jogador um inferno. Pouca, vida, pouca munição, quando Nemesis aparece, não há um único jogador que não sue frio. Cabe ao jogador decidir se vai enfrentar o grandalhão, e acabar com seus já escassos recursos como munição e itens de vida, ou se vai (tentar) fugir até o vilão desaparecer, tão repentinamente quanto apareceu. Só para reaparecer (ou não) poucos minutos depois. Essa tensão de nunca saber quando o vilão vai aparecer e se você vai ter condições de enfrentá-lo é o que faz esse jogo ser magnifico, tal como seu antagonista.

Kefka (Final Fantasy 6)

Primeiramente chupa Sephiroth. Kefka incorpora tudo o que um vilão megalomaníaco pode ter. Sádico, estrategista, cruel, narcisista... Ele atormenta a protagonista Terra desde tenra idade, trabalha para o rei só para traí-lo, matá-lo, tomar seu reino, usar seus recursos para descobrir desuses antigos, os Espers, matá-los, tomar seu poder para sí, virar um deus e destruir o mundo. O maior, mais cruel e mais marcante vilão do que pra mim é o melhor jogo da série. Kefka é a quintessência do vilão FDP. E é claro, que eu esqueci de mencionar, a luta vai ficando progressivamente mais difícil, assim como Dark Link. A cada nova forma de Kefka, a coisa vai ficando mais feia. A batalha contra ele é longa e árdua.... E te dá uma sensação muito boa ao finalmente derrotá-lo....

Big Boss (Metal Gear 2 Solid Snake)

Eu sei que muita gente esperaria aqui encontrar The End, The Boss, Psycho Mantis, e sim, estou de acordo, todos esses foram chefes incríveis, que reinventaram a maneira de se lutar contra um chefe. Mas, a coroa tem que ir para Big Boss. O motivo é simples, toda a complexidade da batalha em uma plataforma com tão poucos recursos. Muitas das boss battle modernas da série Metal Gear só foram possíveis pelo poder dos hardwares das plataformas. Isso não aconteceu nos 2 primeiros jogos da série. Começamos essa batalha final logo depois de ter enfrentando um Metal Gear pilotado por Gray Fox, e depois lutando corpo a corpo contra o próprio Grey Fox em um campo minado, e depois somos levados até o final boss, com pouca vida, sem arma e nenhum equipamento. Temos que correr pela nossa vida enquanto um soldado renegado maluco nos dá tiros de metralhadora. Temos que entrar em salas trancadas, cheias de armadilhas, e de lá resgatar uma lata de spray, fita adesiva e um isqueiro, combinar tudo e com isso fazer um lança chamas improvisado e com isso enfrentar o "maior soldado que já existiu". Foi de uma engenhosidade incrível para a época e pelos recursos que tinha. Fora que, esse é o meu terceiro jogo preferido dessa série, que teve um fim mais que trágico. Fuck you konami. Fuck you kojima. Obrigado por matarem uma das mais incríveis séries de game que existiu. A batalha contra Big Boss em Metal Gear 2 leva a disputa na minha opinião pelo incrível trabalho de originalidade e criatividade, e mais que tudo, resiliência em criar algo tão complexo com recursos tão limitados em uma plataforma.

Ryuji Goda (Yakuza 2)

Yakuza é um jogo de mecânicas simples, descendente direto dos antigo e tão amados beat em ups. E isso infelizmente está fazendo a série cair no ostracismo hoje.... Apesar de para mim a melhor batalha final da série ser Yakuza 4, o melhor vilão segue sendo o dragão de Kansai. Em Yakuza 4 são 4 chefes distintos. aqui, é apenas Ryuji, e meu deus, é a batalha mais intensa, difícil e memorável de toda a série. Além de que, como já disse, Ryuji Goda é o antagonista mais carismático da série, e un fan favorite. Tanto que apareceu de novo no jogo Yakuza Dead Souls. Ainda que esse jogo não seja canônico, Ryuji foi o único antagonista a reaparecer em um jogo da série. E bom, Ryuji me lembrou muito Gesse Howard... acho que por isso gosto tanto dele.

Ornstein & Smough (Dark Souls 2)
Possivelmente a mais intensa batalha de toda a série Souls. A dupla dinamica dos pesadelos. O Executor e o Matador de Dragões. Você enfrenta os 2 ao mesmo tempo e qualquer um deles pode te matar com apenas um golpe. A batalha é extremamente longa, até mesmo porque você vai passar a maior parte do tempo rolando para desviar dos ataques e se curando dos ferimentos. Enquanto você se desvia de um, o outro te cerca e te ataca. Não há margem para erros muito menos tempo para respirar aqui. Chega difícil à ponto de ser frustrante. E quando você derrota um, o sobrevivente absorve os poderes do parceiro. Então, pouco importa qual dos 2 você decida matar primeiro, você vai sofrer muito aqui. Provavelmente a boss battle mais difícil dos últimos anos, se não uma das mais difíceis de toda a história dos vídeo games.
Esquadrão 8492 (Ace Combat 5)

Ace Combat 5 é meu título preferido da série, e com certeza um dos meus jogos preferidos de todos. E na minha opinião, Ace Combat 5 também foi o último jogo bom da série lançado até hoje.... todos os demais me decepcionaram bastante, à ponto de nem mesmo querer jogar até o final.. mas AC 5, devo ter terminado umas 5 vezes no mínimo... e em cada uma dessas jogatinas....sempre suava frio quando enfrentava os ases do esquadrão inimigo. O esquadrão 8492 é justamente o resumo do que faz um boss ser marcante, testa todas suas habilidades e sangue frio. E aqui isso acontece como em poucos outros jogos. Uma batalha de caças em ritmo frenético, em alta velocidade, tendo que desviar de mísseis, cuidar de seus aliados e ainda abater não apenas 1 piloto, mas um esquadrão todo de inimigos extremamente habilidosos... até hoje, sem dúvida, uma das melhores boss battles que já tive o prazer de participar. E bom... podemos dizer que depois o jogo acaba aí... por que o final boss mesmo... não tinha como ser melhor e mais intenso que o esquadrão inimigo.... A batalha final contra o Esquadrão 8492 é aquela batalha que te mantem com os olhos colados na tela da tv e alheio ao que passa fora de dela. Se alguém der um tiro do seu lado você nem escuta, de tão intensamente que ela te envolve. É aquele tipo de intensidade que te faz sentar bem na ponta da cadeira/sofá, e que te dá uma sensação MUITO BOA depois de finalizada, uma sensação de conquista e superação, e verdade seja dita, não senti algo parecido em nenhum outro game, mesmo os games das gerações atuais, arrisco a dizer que é a mais intensa dessa humilde lista.

Mona & Lisa (Streets Of Rage)

Streets Of Rage até hoje é um dos meus jogos preferidos de todos, e é um dos primeiros que joguei na vida também. E com certeza não seria o que sou hoje, em termo de games, se não fosse por esse diamante do gênero beat em up. As gemeas Mona e Lisa eram o verdadeiro terror do primeiro jogo, ainda mais que o Mr. X. Aparecendo na quinta fase, até os produtores se deram conta que se passaram quando colocaram um carro de polícia extra pouco antes de as enfrentarmos. E bom, diminuir a dificuldade delas? Fora de cogitação. Pegou o carro de polícia extra e morreu antes de chegar nelas? Azar meu amigo. Aqui é games old school. E você ainda as enfrentava imediatamente ANTES do final boss, e sem o bonus de policia. E ainda tem quem pense que Dark Souls é difícil....

Che Delilas (Legend Of Legaia)


Legend Of Legaia. Lembro desse jogo com muito carinho. Foi o game que me fez gostar de rpg. Claro, é um rpg pequeno e um tanto desconhecido, mas ainda sim um game que gosto muito, e que mudou minha maneira de olhar e pensar vídeo games. E quando fala de Boss Battles, uma das que sempre me lembro quase que de imediato é a batalha contra a família Delilas, especificamente o grandalhão Che Delilas. A família Delilas é uma bando de renegados que atormenta nosso trio de heróis até mais ou menos a segunda metade do jogo. É legal que a história vai crescendo e se construindo em cima dessa batalha, o que te dá ao mesmo tempo antecipação e nervosismo, pois eles são bem chatos, e são o tipo de vilão que você tem MUITA vontade de enfrentar, tanto por vontade de descer a porrada, quanto pelo desafio. E mesmo hoje, não houveram muitos outros personagens que me geraram tanta antecipação quanto essa problemática família de rufiões. Na hora de derradeira batalha final com o clã, ao invés da tradicional 3 contra 3, as equipes se dividem e fazem 3 batalhas de 1 contra 1. E isso é algo que te faz repensar muito a estratégia, pois você tem que estar muito bem estocado de itens de cura, entre outros. E não pode mais contar com a estratégia tradicional de manter sempre um healer para o grupo. E o grandalhão Che Delilas, é a batalha mais longa e mais intensa. A cada 3 turnos ele sempre usava seu golpe mais poderosos, que chegava a sugar 1/3, as vezes até mais se te pegar desprevenido. Então pelo menos 2 desses 3 turnos você vai ter que alternar entre ataque e recuperação de vida. E é isso que faz essa batalha tão longa e tão intensa. A batalhas contra os outros 2 irmãos Delilas também é bastante intensa, mas contra Che Delilas, me lembro até hoje... Uma das melhores que já presenciei em um rpg por turnos tradicional.

Menções Honrosas:

Hércules (God of War 3)
Para mim a Batalha contra Hércules é a melhor do jogo, e uma das melhores de toda a série God Of War, mas, como havia dito ainda na introdução, apenas personagens criados para games, Hércules não teve sua origem nos jogos eletrônicos então.... ficou de fora.

Psycho Mantis (Metal Gear Solid)
Com certeza uma das boss battles mais memoráveis de todos os tempos. A maneira como toda a batalha foi estruturada, quebrando a quarta barreira inúmeras vezes, a intensidade da luta, o contexto, o personagem.... tudo... não à toa é relembrada como uma das melhores e mais criativas boss battles já feitas para o mundo dos games, presença mais que garantida em qualquer lsita semelhante. Apenas não entrou na lista principal pois como disse, preferi privilegiar a engenhosidade da batalha contra Big Boss frente à escassez de recursos da plataforma em que foi lançada. O que foi um verdadeiro milagre.

Sniper Wolf , The End, The Boss e Liquid Snake
Francamente, ainda está para nascer alguma franquia como bosses melhores e boss battles mais marcantes que Metal Gear Solid (e bom, considerando que a série teve seu triste, amargo e mais do que qualquer coisa humilhante fim, só nos resta lembrar com tristeza algumas das melhores batalhas já feitas no mundo dos games). Quando uma série revolve em lutar contra robôs gigantes que disparam misseis nucleares, e ainda sim são os boss humanos que roubam a cena, você sabe que tem ouro nas mãos. Eu gostaria de elucidar um por um desses demais "vilões" de porque eles ficaram fora da lista principal, mas estou com preguiça. e segue a regra de apenas 1 boss por franquia.

Adamantoise (final Fantasy 15)
Uma montanha viva que leva mais de 2 horas para vencer. Adamantoise é uma monstro conhecido dos fãs da série, mas na sua décima quinta edição, ganhou uma roupagem nova que absolutamente ninguém estava esperando. Adamantoise não é exatamente difícil, bom, ele é uma montanha viva como disse, então não é exatamente difícil errar os golpes ou esquivar dos seus ataques, mas se uma boss battle que dura pelo menos 2 horas ininterruptas não o caracteriza como algo marcante... meu amigo... você está no mundo errado, por que com certeza o mundo dos jogos eletrônicos não é para você....

Geese Howard (Fatal Fury/Art Of Fighting)
Bom, eu já disse que Gesse é meu malvado favorito dos games, e não apareceu na lista porque boss de jogos de luta não entrariam, mas ainda sim, não queria deixar passar sem ao menos uma menção ao Rei de Southtown.

E então leitores, gostaram da lista? Seu malvado favorito apareceu aqui? Concorda, discorda, faltou alguém? Deixe aí seus pensamentos.